A propaganda eleitoral – por Fernando Chuí

image

A propaganda eleitoral acorda cedo.

A propaganda eleitoral coloca a dentadura, faz uma hora de maquiagem e veste seu terno novo dos anos 80.

A propaganda eleitoral ajeita o porta-retrato de Hitler na cabeceira antes de sair às ruas.

A propaganda eleitoral de sorriso reluzente imposta a voz e distribui beijos para o povo pobre do outro lado da avenida.

A propaganda eleitoral não fala palavrões, mas direciona à sua volta muitas ofensas pessoais.

A propaganda eleitoral faz cooper de 3 minutos em frente às câmeras e volta para casa.

A propaganda eleitoral retira as grandes camadas de base e blush e não há nenhum rosto remanescente por trás.

A propaganda eleitoral está de malas feitas, sai sorrateiramente de madrugada e despreza as contas que recebeu por baixo da porta.

Durante um bom tempo não se vai mais ouvir falar da propaganda eleitoral.

(Ilustração: Fernando Chuí)

Um comentário sobre “A propaganda eleitoral – por Fernando Chuí

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *